quarta-feira, janeiro 05, 2005

Alternativas

Alternativas ou o pequeno desabafo
Saímos porta fora, vamos para os nossos empregos, para as nossa ocupações. Saímos das nossas ocupações e regressamos a casa. Entretanto cumprimos obrigações sociais e biológicas, agradamos a este e àquele, desagradamos a outros tantos. De tempos a tempos lá tiramos as nossas férias, vamos passear... De forma mais ou menos pontual lemos um livro, ouvimos música, amamos, fazemos sexo, votamos, acabamos por morrer.
Parece estranho, não parece? Uma vida, um parágrafo. O que é que acontecia se eu tentasse descrever outra vida? Bem... bastava copiar o mesmo parágrafo. Triste, não é? Muito.
É claro que, de vez em quando, lá aparece aquele tal Fulano que faz isto ou aquilo diferente, que tem sucesso ou que consegue agitar as coisas. Mas conseguem lembrar-se do nome de uma destas pessoas que tenha feito algo realmente importante nos últimos cinco meses? ...Foi o que me pareceu.
Podemos sempre falar em alternativas. A alternativa do PSD pode ser o PS; é claro que depois, a alternativa do PS será o PSD. Sim... alternativa... claro!... Ou então, também há a alternativa de escolher entre um emprego e outro emprego só para não ficar no desemprego.
Alternativa. As pessoas não sabem já o que isso é. Limitam-se a andar sempre dentro do mesmo redil, sujeitas às mesmas coisas, pensado que a alternativa está em escolher mais do mesmo. Em tudo: cultura, política, amores, sociedade, vida. Depois arrogam-se o direito de falar em alternativas.
Querem alternativas? As alternativas são vocês! Modifiquem aquilo que vos fizeram pensar por algo que tenham pensado por vocês mesmos. Parem de ter medo de mudar para algo desconhecido. A alternativa é levantarem-se do sofá da vida e começarem a caminhar a estrada que vos espera, empoeirada e sinuosa. A alternativa é saber que mudar é viver. A alternativa não é ler este texto, a alternativa é mudar o texto para a realidade, é saírem do estado onírico que sabe tão bem mas faz tão mal.

Transformem-se na alternativa.
Prometeu

3 Comentários:

Blogger Atena disse...

Excelente observação Prometeu! O problema é que, hoje em dia, para muitas pessoas, mudar é uma autêntica dor de cabeça...para quê mudar se até agora lhes tem corrido tudo bem? É o que pensam. Como sabes, é difícil mudar as mentalidades (demos isso em História lembras-te :) ), mas de facto também depende de nós tentar fazê-lo, a começar por nós mesmos.
Arrisquemos! Gritemos ao mundo aquilo de que estamos fartos...sejamos ousados!! Pela primeira vez em toda a nossa vida...sejamos diferentes da "multidão solitária" de que falava David Riesman!!

10:20 da manhã  
Anonymous everlasting_fighter disse...

Concordo em parte como o que disseste, mas é preciso o tal estímulo especial para que as pessoas se levatem.
E é aqueles que não desistem de perseguire o sonho que compete dá-lo.
Dar exemplos práticos, conversar, rir disso, mas fazer com que também seja levado a sério.
Ok! pode-se dizer que isto é uma banalidade. Mas é uma banalidade que poucos fazem e que não nos podemos cansar de repetir!

12:40 da tarde  
Anonymous Casino Bonuses disse...

Charming idea

12:15 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home